Coleta de dados através de pesquisas: 5 melhores práticas

Pesquisas são uma ótima ferramenta para a obtenção de informações, feedback, insights e mais sobre clientes, funcionários, entre outros grupos de interesse da empresa. Você pode utilizar o conhecimento obtido através de suas respostas para tomar decisões de negócio melhor informadas. Contudo, você pode não obter as informações relevantes que precisa caso não siga algumas das melhores práticas para a criação e distribuição de pesquisas. Abaixo você encontrará algumas diretrizes para a coleta de dados através de pesquisas para a produção de resultados ótimos.

Confira aqui as 5 melhores práticas para a coleta de dados através de pesquisas

1. Consulte o público correto

Pesquisadores geralmente direcionam suas perguntas a um de dois grupos: um grupo real ou um grupo representativo. Um grupo real consiste nasdas pessoas das quais você está diretamente buscando informações, por exemplo, seus clientes ou funcionários. Um grupo representativo é composto por uma amostra de pessoas que representamservem como seu público-alvo com base nos critérios desejados.

Em ambos os casos, certifique-se de distribuir sua pesquisa apenas para aqueles que se encaixam no grupo de seu interesse. Por exemplo, você pode não querer aplicar a pesquisa em todos os seus clientes ou funcionários – você pode querer consultar apenas aqueles clientes que compraram determinado produto nos últimos cinco anos, ou funcionários que solicitaram indenizações trabalhistas durante seu período de contratação.

Este também é um exemplo similar de um grupo representativo: Se sua base de clientes consiste principalmente de homens jovens e interessados em esportes, você pode querer limitar seus participantes a homens entre 18 e 30 anos que moram no Brasil.

2. Não faça perguntas enviesadas

Lembre-se sempre do seu objetivo com a pesquisa. Por exemplo, se você tem um pouco de dinheiro sobrando em seu orçamento e deseja oferecer uma atividade legal no escritório para sua equipe, seu objetivo seria descobrir o que comprar. Não faça perguntas aos membros de sua equipe sobre produtos ou serviços específicos, pois estas os levariam a acreditar que as únicas opções disponíveis são aquelas listadas por você.

Perguntá-los como se sentiriam sobre uma nova mesa de ping-pong ou videogame, por exemplo, implicaria na existência de apenas essas duas opções, e que outras distrações similares e divertidas não estão disponíveis.

Seria mais vantajoso descobrir quais atividades são apreciadas pela maioria dos funcionários ou quais estes gostariam de poder fazer no trabalho. Você pode acabar por descobrir que a maioria deles está preocupado com seu condicionamento físico ou com uma melhor saúde. Neste caso, contratar um instrutor de yoga para sessões no horário do almoço pode satisfazer mais seus funcionários que uma mesa de ping-pong na sala de recreação.

3. Evite perguntas duplas

Perguntas duplas são aquelas que representam duas ou mais perguntas fundidas em uma só, como “O quão satisfeito você está com nosso atendente e a empresa?” O que você realmente está querendo perguntar são duas questões distintas. A primeira representa o nível de satisfação do cliente com o atendente, já a segunda representa o nível de satisfação do cliente com a empresa.

Combinar estas duas perguntas dá a abertura para resultados imprecisos. Os respondentes podem ter diferentes sentimentos quanto a pessoa e o negócio, mas seriam forçados a oferecer uma mesma resposta para ambos.

“Uma pergunta deve estar relacionada a apenas uma informação. Perguntas subsequentes podem, então, solicitar mais dados. Apenas desta forma a pesquisa será capaz de coletar as reais informações que você precisa,” afirma Barbara Sanner, fundadora e CEO da Complete Marketing Solutions.

4. Releia e revise minuciosamente

Evidentemente, é importante sempre lembrar-se de conferir seu trabalho. Releia toda a pesquisa novamente uma vez que tenha terminado seu desenvolvimento e certifique-se de que:

  • Suas instruções estejam claras
  • Todas as perguntas necessárias tenham sido incluídas
  • Todas as opções de escolha correspondam à pergunta correta
  • Não hajam erros gramaticais e ortográficos

Sanner adiciona um sábio conselho quanto à revisão de pesquisas: “Quando uma pessoa redige uma pesquisa, esta deve ser lida, testada e discutida com outras pessoas para assegurar-se de que suas perguntas não sejam interpretadas de formas não pretendidas. O criador da pesquisa está, geralmente, muito próximo ao material, acabando por fazer suposições quanto às perguntas que escreveu.

5. Teste a pesquisa antes de sua total distribuição

Como a maioria dos aspectos envolvendo negócios, é importante fazer testes sempre que possível. A última coisa que você quer é distribuir uma pesquisa para toda a sua base de clientes e perceber que escreveu instruções confusas ou incluiu questões que não fazem sentido dentro da sua proposta. Isso acaba por desperdiçar tempo, seu e de seus clientes, além de soar pouco profissional.

Para evitar este tipo de problema, escolha um pequeno grupo de pessoas que fazem parte de seu público-alvo ou grupo representativo. Envie-os a pesquisa e, então, revise suas respostas e/ou quaisquer comunicações recebidas acerca de problemas que estes enfrentaram ao preenchê-la. Corrija como achar necessário.

Dica

Precisa de uma pesquisa com a cara da sua empresa? Aprenda como personalizar sua pesquisa da maneira certa no guia gratuito Como Criar uma Pesquisa, da JotForm.

Agora que você já conhece estas melhores práticas para pesquisas, chegou a hora de criar a sua própria. Confira estes modelos para pesquisas fáceis de usar da Jotform para começar.

Enviar Comentário:

Jotform Avatar
This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comentar:

Podo CommentSeja o primeiro a comentar.